ON

ON

Previsões Windguru Troia-Setúbal 3 Dias

Procura algo procure aqui

Google

Vídeos de Pesca

Loading...

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Ponteiras-Como fazê-las?

É sem dúvida o componente da nossa cana mais importante.É a nossa sonda! É ela que nos transmite, a forma como o peixe se encontra a comer os nossos iscos.Para o nosso dia de pesca, ela deve estar, o máximo adaptada a todas as condições, quer de tempo, mar, e forma como o peixe se encontra a comer.Como todas estas variáveis variam de dia para dia, por vezes torna-se mais produtiva a utilização de uma ponteira de determinadas características, em vez de outras.O principio deve ser, na minha opinião sempre o mesmo: A ponteira tem que dar leitura de qualquer tipo de abordagem do isco feita pelo peixe.Iscos comidos, e não observamos toques na ponteira, algo está errado!Pode ser a ponteira que não é a mais adequada naquele momento, para aquele mar, aquela profundidade, com aquele vento, com aquela aguagem, etc... Este post não pretende analisar os diversos factores que influenciam a escolha de uma determinada ponteira, pretende apenas mostrar como as podemos fazer ao nosso gosto,e daí podermos adaptar várias á nossa cana com características diferentes;As mesmas vão permitir acções de pesca também diferentes.Partimos de ponteiras em bruto existentes no mercado com a secção da base o mais próxima do diâmetro de encaixe na nossa cana (normalmente utilizo secções base de 4,5 mm).A outra extremidade já depende do tipo de ponteira que pretendemos.Como exemplo de 4,5 mm de base muitas vezes a extremidade oposta não serve para o que pretendemos: ou são finas demais, ou grossas demais, ou rijas ou macias em demasia, etc....Escolhida a ponteira em bruto, devemos escolher os passadores e seus diâmetros, utilizando os de melhor qualidade possível (sic por exemplo).Os diversos diâmetros escolhidos devem ter em conta, que deve permitir um disparo do fio, para fora da ponta da ponteira relativamente fácil e sem prisões, dentro de diâmetros pequenos normalmente utilizados na maioria das ponteiras de fabrica.Podemos sempre também reaproveitar passadores de ponteiras partidas.Chegou a hora de marcar as distâncias exactas onde vão ser colocados os passadores.Feita a marcação colocam-se nos sítios com um leve pingo de cola rápida (cianoacrilato),tendo a preocupação de os deixar alinhados no mesmo eixo e direitos.As distâncias mais curtas ou mais largas a que ficam uns dos outros condicionam, nomeadamente na secção mais fina, o vergar com mais ou menos facilidade da ponta da ponteira.Exemplificando para uma vara de 85 cm comprimento, 4,5 mm diâmetro, penso que a utilização de 7 passadores é o ideal, ás distâncias entre eles de 7 cm, 7cm, 7,5 cm, 8,5 cm, 14 cm, 17 cm.Em seguida passamos o fio em volta da base do passador e da secção da ponteira, com cuidado, alinhado ficando amarrado e preso em definitivo.Podemos prender o inicio do enrolamento do fio ,com um leve pingo de cola rápida,finalizando da mesma forma cortando as pontas com um corta unhas.Feitos os enrolamentos(utilizei fio do tipo com que se faz nós de correr na pesca de bóia á inglesa), aplicamos um verniz epoxy de dois componentes normalmente mistura em partes iguais num pequeno recipiente.Depois da mistura estar homogénea aplica-se com um pincel pequeno(tipo de pintura a óleo)por cima do enrolamento obtendo-se acabamento perfeito.Vai-se rodando a ponteira na horizontal de 2 em 2 minutos enquanto seca para não escorrer o verniz nem criar altos.Ao fim de 2 a 3 horas a ponteira estará seca e poderá ser utilizada no dia seguinte.As limpesas das seringas podem ser feitas com álcool etílico a 96 % vol.Os ajustes de diâmetro da base da ponteira para encaixe na cana, quando é necessário retirar material, é feito com lixa média e de seguida com lixa fina, até encaixar na perfeição.Quando é necessário acrescentar material usa-se cola rápida (cianoacrilato);Estando seca retira-se o material necessário com lixa média e fina até o encaixe estar correcto.A pesca desportiva tem muito trabalho de casa: são as ponteiras, as montagens, o empate de anzóis, a execução e plastificação de chumbadas, a limpesa e conservação de todo o equipamento utilizado, etc, etc....Tudo isto faz parte do ambiente de paixão e magia, resultado do prazer provocado pela atitude de pescar.Até já.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tempo

Ultimas Notícias

****Carlos Motaco do Clube Companhia dos Mares sagrou-se Campeão Nacional de 2008-Célio Alves Campeão Nacional 2009****